top of page

Igrejinha: da imigração alemã à produção de calçados - uma jornada fascinante

RF_Sicredi_Igrejinha-24.jpg

A história de Igrejinha remonta a 1814, quando Antônio Borges de Almeida Leães recebeu uma grande porção de terra que abrangia os territórios atuais de Taquara, Igrejinha e Três Coroas. Mais tarde, em 1845, Tristão José Monteiro adquiriu essa porção de terra e estabeleceu a Colônia de Santa Maria do Mundo Novo. Muitos imigrantes alemães fixaram-se nessa colônia a partir de 1846, espalhando-se pelas margens do rio Paranhana.

A colônia era dividida em três seções: Baixa Santa Maria (Taquara), Média Santa Maria (Igrejinha) e Alta Santa Maria (Três Coroas). Tristão Monteiro construiu a primeira casa de alvenaria do vale, conhecida como a "Casa de Pedra", para abrigar os colonos e servir como depósito e base de medição das terras do vale.

A primeira igreja da região foi construída de madeira pelos moradores e inaugurada em 1863, próximo às margens do rio Paranhana. Os tropeiros que percorriam a estrada entre Porto Alegre e São Francisco de Paula começaram a chamar a localidade de Igrejinha, exclamando "Lá está a igrejinha!" ao avistá-la.

No início do século XX, a população de Igrejinha construiu a primeira ponte sobre o rio Paranhana em 1904. Em 1912, o comerciante João Kichler construiu uma barragem, um moinho de água para descascar arroz e instalou uma turbina geradora de energia elétrica. Isso possibilitou a instalação de uma rede elétrica que fornecia eletricidade para os domicílios da região, tornando Igrejinha pioneira em iluminação elétrica domiciliar.

Em 1913, foi construído o ramal ferroviário Taquara-Canela, acompanhando o curso do rio. A localidade de Igrejinha recebeu uma estação ferroviária e uma ponte. O tráfego ferroviário impulsionou o progresso da região, facilitando o escoamento da produção. Por volta de 1930, foi iniciada a primeira empresa que fabricava calçados e artefatos de couro, e a região viveu um surto de empresas nesse ramo até 1955. Ainda hoje, Igrejinha possui uma população predominantemente de origem alemã e destaca-se como uma das maiores produtoras de calçados femininos do Brasil.

A comunidade de Igrejinha é conhecida por sua forte identidade cultural e tradições. A cidade é famosa por sediar a Oktoberfest, uma das maiores festas alemãs do Brasil, que atrai milhares de turistas todos os anos. Além da Oktoberfest t, Igrejinha oferece outros pontos turísticos interessantes que exaltam a cultura alemã e as belezas naturais da região.

A Sicredi Caminho das Águas tem imenso orgulho de fazer parte da história de Igrejinha, uma cidade que nasceu e se desenvolver de forma cooperativa, contanto com a força e a união de seu povo e que com certeza muito potencial para continuar crescendo e se desenvolvendo. Parabéns, Igrejinha pelos seus 59 anos!

AUTOR: Thamires Rosa

                Intérprete da Cultura

DATA: 1º de junho 2023

TAGS:  #SicrediCaminhodasAguas #DNAAcreditador #liberaropotencial #Acreditadores #centenário #100anos #rumoaos100juntos #Igrejinha

logo_sicredi.png
bottom of page